Os petistas insistem em não entender que só propaganda não basta.

Ninguém se convencerá sobre a propalada redução da violência se as TVs são obrigadas a noticiar a série de crimes e assaltos que ocorrem na cidade.


De pouco adianta dizer que a economia está de vento em popa, se o mercado de trabalho não oferece a vagas para quem procura, nem o comércio vende para se manter aquecido.

Irrelevante dizer a produção agropecuária é significativa se nas feiras, tabernas e supermercados a quase totalidade dos produtos nas prateleiras tem o rótulo de outros estados.

Injusto dizer que a educação foi revolucionada, quando, por exemplo, a escola Berta Vieira, no bairro São Francisco, passou muitos meses paralisada por conta de reformas mal programadas.

Mas o Acre melhorou, dirão eles.

Óbvio, com a estabilidade econômica o Brasil melhorou. Todos os estados melhoraram.

Nós é que ficamos na rabeira e perdemos a carona do desenvolvimento nacional.

Talvez o governo não passasse por tantos apuros se falasse a verdade e não tratasse o povo acreano como um bando de gente desinformada.

 


 

Ao longo desses 16 anos de gestões petistas a exportação de bambu para o mercado chinês sempre foi apresentada como redenção para tirar a economia acreana da pindaíba.

Empresários foram recebidos com honras e tapetes vermelhos pelos governadores, que por sua vez prometeram gerar divisas e milhares de empregos com a exploração racional dos "bambures".

Pois bem.

Apesar de toda arruaça não conseguimos produzir com bambu sequer espetos para churrasquinhos de gato.

A única aplicação conhecida dos " bambures" é para pendurar bandeiras do PT e identificar casas de pessoas pressionados e humilhadas.

Com todo esmero o PT está montando um belíssimo e luxuoso comitê eleitoral denominado de Central Mulher.

Diante dessa honrada distinção às mulheres acreanas neste período eleitoral, algumas perguntas deveriam ser respondidas, entre as quais:

1- qual a postura de reprimenda ao quase ex-senador Aniba Diniz quando este agrediu duas desembargadoras chamando-as de mulheres "mal resolvidas"?

2- qual a opinião das candidata Nazaré Araújo e Perpetua Almeida quando o subsecretário de direitos humanos desceu a ripa no carro de sua ex-esposa?

3- onde se pode ler uma nota de repúdio do PT em relação a estas agressões?

Fato é que durante o período eleitoral as mulheres são tratadas como princesas, mas na hora que estão debaixo de peia as companheiras fecham os olhos.

Calma, camarada Perpetua. 

Usar o velório do motorista de ônibus morto pela falta de segurança do governo petista para campanha eleitoral é oportunismo barato.

Fora dos períodos eleitorais outras vidas foram covardemente abatidas e não mereceram de vossa parte um comentário sequer.

Se, de fato, queres que o povo acredite em sua sinceridade, bote a boca no trombone para denunciar o descaso que levou o sistema de segurança à falência.

Para quem esqueceu, Carpideira é uma profissional que chora em velórios.



Além da manutenção dos privilégios e das vantagens pessoais, o desespero da cúpula petista para permanecer no poder e com o controle da imprensa e das instituições tem outro fim: fora dos cargos e das redes de influência as falcatruas deles naturalmente virão à público e muitos companheiros terão que tocar piano em indiciamentos.

O próximo governador, seja Bocalom ou Bittar , terá a obrigação de expor aos acreanos a sujeira que essa curiola petista esconde debaixo do tapete.

Ou eles fazem isso ou correrão o risco de serem cúmplices das bandalheiras, que por sinal não são poucas.

Da minha parte, com ou sem mandato, coragem não faltará, como até 
hoje não me faltou.

Não se trata de revanchismo, mas o exemplo é a punição e não impunidade. 


 

 

Essa é a dancinha do CINCO, CINCO, UM QUATRO, QUATRO.

 

Quando um time está perdendo a primeira providência do técnico é mexer no elenco.

Ou o governador demite o pessoal que gerencia o sistema de segurança do estado ou a credibilidade dele se afundará ainda mais.

Em outubro o povo se encarregará de demitir o treinador desse time de pernas de pau.

A barra está pesada em Rio Branco.

É um crime bárbaro atrás do outro.

Há tempos que nosso tão pequeno Acre não respira ares de segurança.

Bandido já nem mais diz o tradicional " mãos para o alto".

Chega atirando, matando e fica por isso mesmo.

Estamos todos entregue à proporia sorte.

De outra banda, como um masoquista de primeira categoria, o governo do PT tenta enfiar goela abaixo que a situação esta sob controle e que a violência não aumentou.

O pior é que tem gente, e muita gente, que ainda acredita nessa cascata.

É o que tenho insistentemente repetido: o demasiado tempo no poder encheu o peito dessa patota de orgulho e eles se acham donos do Acre e de nossas vontades.

O governo se perdeu e suas iniciativas não tem mais impacto nem credibilidade.

Pergunte a qualquer parlamentar governista qual a opinião dele sobre este momento de insegurança.

No escodidinho, para faturar algum voto, ele dirá que a coisa está "braba".

Em público o medo do governo impede declarações

 

 

Esta foto que circula na internet, afixada numa coluna de maternidade Barbara Heliodora, demonstra a real situação da saúde de primeiro mundo do governo petista.


Segundo o tenebroso aviso naquela tradicional casa de saúde faltam Nimesulida ( anti-inflamatório), Paracetamol ( analgésico ), Diclofenaco ( anti-inflamatório ) e Cefalexina ( antibiótico).


Esses medicamentos se constituem no básico do básico do básico de em qualquer farmácia.

Como repito insistentemente além dos medicamentos, falta na condução do sistema de saúde capacidade de gestão e, sobretudo, vergonha na cara.