O deputado federal eleito Alan Rick, evangélico convertido, está cometendo um pecado profano ao atribuir ao senador Sergio Petecão a responsabilidade pelas denúncias sobre a " derrama" de carteiras em troca de votos apurada pela Polícia Federal.

Primeiro: o inquérito instaurado na Polícia Federal é muito anterior aos resultados das eleições, quando ainda não se sabia quem seriam os vencedores.

Segundo: caso tenha o mandato cassado por compra de votos, a beneficiada não seria Marfisa Galvão, esposa de Petecão, e sim Moisés Diniz, primeiro suplente da Frente Popular.

Portando, se há algum interessado em "pescar" o mandato de Alan Rick, o caniço que o fisgará é de seus companheiros de chapa.

Fato é que a delegacia da Pesca no Acre operou o milagre da multiplicação das carteiras falsas e a Policia Federal tem depoimentos que deixa muita gente com o anzol fisgado no olho.

Leia mais aqui no AC24HORAS.

Distribuídas no "guiza" com fins eleitoreiros para milhares de pessoas que nunca viram, sequer, um anzol na vida, alguns peixes grandes poderão ser arrastados na malhadeira que a Polícia Federal lançou no rio de irregularidades praticadas pela representação da Secretaria de Pesca no Acre na distribuição de "carteiras de pescadores" para beneficiar candidaturas.

Documento exigido para habilitar os verdadeiros pescadores a uma renda mensal para garantir sua subsistência na época de " defeso", ou seja, no período em a pesca está proibida, espertalhões da política logo enxergaram a possibilidade criminosa de transformar esse importante beneficio numa piracema de carteiras trocadas por votos.

Enquanto os verdadeiros pescadores enfrentam o calvário burocrático para consegui-la, candidatos promoveram o milagre da multiplicação das carteiras.

O caldo do inquérito que tramita na PF é grosso.

A prorrogação do contrato da Cia. de Selva é um evento certeiro calendário da administração petista e uma novidade que os acreanos já estão "carecas" de saber.

Monopolizando a verba da mídia desde os remotos tempos de Orleir Cameli, o governo petista ampliou por mais um ano o contrato que certamente entrará para o livro dos recordes como o contrato mais antigo.
Um fato inusitado acontece com a imprensa golpista do Acre: quanto mais o governo petista enche cofres dela, mais ela definha.

A Cia. de Selva controla a propagada do governo, da prefeitura, do PT, do titio, da titia e de todas família da frente popular.

O governador Tião Viana, de livre e espontânea vontade e no pleno gozo de suas faculdades mentais vontade, declarou ao AC24HORAS que recebeu informações privilegiadas sobre o G7 de um desembargador, segundo Tião, com o bucho cheio de cachaça e com o bafo de vencido, e o nosso querido deputado Moisés Diniz saiu em defesa dele dizendo que está havendo "má interpretação e vingança eleitoral".

Quem sempre achincalhou o poder judiciário foi a frente popular.

Ou, por acaso, já esqueceram da lavagem das escadas?

Petecão pede que Sebastião Viana esclareça o recebimento antecipado de informações da operação G7

O senador Sérgio Petecão (PSD) usará a tribuna do Senado, nesta quarta-feira (5), para pedir que o governador do Acre, Sebastião Viana (PT), esclareça as declarações feitas sobre o acesso privilegiado às informações da operação G7, na qual foram presos 15 empresários e secretários de Estado sob a acusação de desvio de dinheiro público no Estado.

Entrevistado por um jornal online local, o governador afirmou que recebeu em seu gabinete um grupo de desembargadores que teriam concedido a ele informações sigilosas um ano antes da operação ser deflagrada.

O senador Sérgio Petecão afirmou que as declarações do governador Sebastião Viana diminuem a imagem do Poder Judiciário acreano. “Confio plenamente na integridade e ética do nosso Judiciário, por esse motivo acho muito difícil que um desembargador tenha repassado essas informações. Contudo, como a declaração foi feita pelo próprio governador, e agora ele deve apresentar publicamente esses nomes.”

De acordo com Petecão, o governador opera em uma margem muito arriscada ao fazer acusações contra desembargadores e não apresentar nenhum fundamento em suas denuncias. “Não se pode fazer afirmações caluniosas sem apresentar as provas. Atitude como essa serve somente para manchar reputações alheias”.

O senador classificou como desrespeitosa a revelação feita pelo governador na qual ele teria conversado com um desembargador que estaria com hálito de bebida alcoólica durante uma missa. “[...] E eu recebi visita de um desembargador tratando de uma questão [G7] dentro da missa. Não esqueço do bafo de álcool que tava na boca dessa pessoa”, disse Sebastião Viana em entrevista.

Petecão endossou o posicionamento do deputado Major Rocha (PSDB), que disse que “a informação privilegiada é uma conduta criminosa”. Rocha afirmou que o governador colocou os desembargadores do Poder Judiciário, inclusive o presidente da instituição Roberto Barros, sob suspeita.

O posicionamento contundente da vice-presidente da Associação dos Magistrados do Acre, Juíza de Direito, Lilian Deise Braga Paiva, que condenou as declarações do governador, também teve o apoio de Sérgio Petecão.

As investigações da G7 foram conduzidas pela Polícia Federal em caráter sigiloso e qualquer vazamento de informações é completamente ilegal.

Gabinete do Senador Sérgio Petecão

Partido Social Democrático - PSD

De tão graves que são, o Tribunal de Justiça não deve dar "o calado com resposta" às declarações do governador Tião Viana sobre as informações que este recebera de um desembargador bêbado, cujo bafo de álcool . segundo ele, ainda guarda na memória, e de um grupo de desembargadores que feriram o sigilo funcional ao bater com a língua nos dentes para aborta a Operação G7, que veio a se tornar o maior escândalo de corrupção da história do Acre.

Ao Tribunal não resta outra alternativa senão abrir um rigoroso processo de investigação, sob pena de cristalizar na memória dos acreanos que alguns membros daquela corte não passam de baratos serviçais do governo petista.

Neste caso, "o calado como resposta" do Tribunal terá o efeito de um tiro mortal na credibilidade da justiça acreana disparado por um míssil desgovernado.

Tome mais um dose de leitura  aqui no AC24HORAS.

Se o debate de ontem na Globo fosse uma partida de futebol poder-se-ia dizer que Aécio deu um "olé" em Dilma. 
Atrapalhada e confusa, Dilma chamou eleitor indeciso de candidato e recomendou outra, uma economista de 55, que procurasse o Senai para se qualificar.

 

A reforma da tradicional escola Maria Angélica começou em outubro de 2013 com conclusão prevista para fevereiro de 2014.
Já estamos em outubro de 2014 e a reforma ainda está pela metade.

O obra avança n ritmo da música de Martinho da Vila: devagar, devagarinho.


Nada contra a preservação da memória de Chico Mendes, mas o financiamento dos gastos necessários para esta finalidade deveriam ser bancados por aqueles que se deram bem explorando seu legado, como, por exemplo, o senador Jorge Viana, ou as ONGs que faturaram muito dinheiro usando o seu nome.

Não acho justo, todavia, que o povo acreano arque com o pagamento mensal 30 mil reais pelo aluguel do imóvel onde funciona a Casa Chico Mendes e abriga o acervo dele.

Para evitar, talvez, discussões na divisão do montante do aluguel contratado, o governo optou por pagar, separadamente, a cada um dos quatro herdeiros de Chico.

De janeiro a setembro deste ano o governo petista já pagou com o dinheiro dos impostos recolhidos do povo acreano 270 mil reais, que foram divididos em parcelas iguais para Sandino, Ilzamar, Ângela e Elenira Mendes.


Muito corrida e concorrida a reunião forçada com os empregados de empresas que prestam serviços para o governo petista realizada hoje no hotel Monteiro neste sábado, 18. 
Com o MinistérioPúblico Eleitoral presente no local quem estava uniformizado não pode entrar e os discursos foram "ligth".